Barbarenses pagaram mais de R$ 119 mi em impostos em 2019

Dado é do Portal do Impostômetro, da ACSP

Os contribuintes de Santa Bárbara d´Oeste pagaram  mais de R$ 119 milhões em impostos municipais em 2019. O dado é do Portal do Impostômetro, da Associação Comercial e Industrial de São Paulo (ACSP).

Fazendo um comparativo com o mesmo período do ano passado, é possível observar um aumento da arrecadação tributária. De 1° de janeiro a 31 de dezembro de 2018, a população de Santa Bárbara pagou R$ 115.075.090 milhões em impostos municipais, alta de 3,45%.   Em 2020, a projeção do dia 1º de janeiro de  até o dia 31 de dezembro, é que os barbarenses paguem R$ 127,8 milhões. Os principais tributos de arrecadação municipal acumulados pelo índice são o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) e o Imposto Sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). 

Na microrregião, somando os cinco municípios: Americana, Hortolândia, Nova Odessa, Santa Bárbara e Sumaré o valor pago pelos contribuintes em impostos municipais soma  R$ 833,2 milhões. Os contribuintes que mais pagaram foram Hortolândia (R$ 246,9 mi); seguida de Americana (R$ 234,5 mi); Sumaré (R$ 188,6 mi); Santa Bárbara (R$ 119,053 mi); e Nova Odessa (R$ 44 milhões)

Conforme informações da ACSP, no Brasil, em 2019, o Impostômetro fechou o último dia do ano com a marca de R$ 2,5 trilhões pagos em impostos aos governos municipais, estaduais e federal. Em 2018,  o valor pago pelos brasileiros em tributos somou R$ 2,3 trilhões. Para o economista da ACSP, Marcel Solimeo, essa marca expressiva representa uma carga tributária elevada para o País - se comparada com a renda do brasileiro.

“Acredito que a carga de tributaria, nos próximos anos, deve permanecer alta. Possivelmente, o único fator que pode colaborar com a diminuição dos tributos é o controle nos gastos. Caso não haja esse esforço, o Brasil continuará tendo impostos elevados e nada disso retorna à população”, diz Solimeo, que complementa: “o esforço que as autoridades vêm fazendo com o teto dos gastos ainda é lento- isso se considerarmos a urgência da redução”. 

Campanha Novo Ano Novo

Com o mote “Na Austrália já é ano novo. No Brasil ainda faltam 153 dias”, a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) lançou em 1º de janeiro de 2020, a campanha “Novo Ano Novo”. A ação quer conscientizar os brasileiros ao mostrar que durante 153 dias do ano são trabalhados para pagar impostos e que apenas a partir do dia 02 de junho que o ano começa. A iniciativa também engloba uma petição on-line disponível no hotsite  https://novoanonovo.org/.

Com um milhão de assinaturas, a ACSP levará ao Congresso Nacional um Projeto de Lei de Iniciativa Popular para oficializar o dia 02 de Junho como feriado nacional, assim como o dia 01 de janeiro. Para a Associação transformar a data em feriado nacional é uma forma de ressaltar o valor pago em impostos até a data.