Compra de material escolar já movimenta o comércio

Material escolar pode variar de R$120 até R$600

Ano novo, vida nova e as contas de sempre. O ano mal começou, mas muitas famílias já estão se preparando para um dos primeiros gastos do ano. As com material escolar. Nas papelarias de Santa Bárbara d’Oeste as vendas já começaram e os lojistas já se preparam para grande movimentação.

De acordo com o professor de economia da UniMetrocamp -Wyden, Chayene Martini, o planejamento é sempre a melhor opção. “O ideal seria já entender que o material escolar é uma despesa anual. Você já sabe que todo início de ano terá esse gasto, então o recomendado seria já ter um plano financeiro e separar uma verba para isso”, orienta.

Nas lojas, além de descontos e novidades para os consumidores, as listas também facilitam na hora de adquirir os materiais. “Muitos pais já se antecipam, fazem o orçamento e com a lista em mãos consegue se organizar e levar os materiais”, disse Rosa Bernardeli.

O movimento, segundo os lojistas, começou mais cedo. “Em dezembro do ano passado, alguns pais já se anteciparam e ao fazer o orçamento através da lista escolar, acabaram levando. Geralmente as famílias com crianças no Ensino Infantil e Fundamental pesquisam com mais calma”, disse.

Mesmo não se programando, ainda assim é possível comprar de forma mais consciente. “Alguns pais compram os materiais sem a presença dos filhos para evitar gastos maiores. Já em algumas famílias, a participação das crianças estimulam nos estudos. Depende de cada caso, mas o diálogo precisa prevalecer”, disse Fabiana Paula, consultora de vendas.

Entre as formas de pagamento optadas pelos consumidores são: cartão de crédito e dinheiro à vista. “As famílias geralmente já se programam com o pagamento do 13º salário ou com o primeiro salário do ano, mas muitas famílias ainda optam pelo pagamento com o cartão de crédito”, afirma.

O material escolar pode variar de R$120 até R$600. “Bolsas e lancheiras acabam entrando no orçamento, o que acaba deixando as despesas maiores. Quem estuda no Ensino Médio já tem um gasto menor com materiais e são as maiorias nas compras de última hora”, disse.