SB encerra o ano com 366 novos empregos formais

Microrregião gera 2.573 postos de trabalho em 2019

Santa Bárbara d´Oeste encerrou 2019 com saldo positivo de 366 novos empregos com carteira assinada. O desempenho  é bem melhor do que o mesmo período de 2019, quando foram abertas 136 vagas, um aumento de 169,1%.   Já as cinco cidades da microrregião juntas geraram 2.573 postos de trabalho. Por sua vez, a Região Metropolitana de Campinas (RMC) somando as 20 cidades gerou 9.211 vagas. Os dados são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados na sexta-feira(24/01). 

De janeiro a dezembro de 2019 (resultado acumulado do ano), foram admitidos 18.922 trabalhadores e demitidos 18.556.  O setor de Comércio puxou as contratações com abertura de 514 vagas; seguido de Serviço Industrial de utilidade pública; Construção Civil (24); e Extrativa Mineral (01). Por sua vez, a Administração Pública se destacou negativamente com a eliminação de 107 vagas; seguido de Serviços (-50);  Agropecuária (31); e Indústria de Transformação (-21). 

Já o mês de dezembro o município fechou 601 postos de trabalho. O A Indústria de Transformação eliminou 337 vagas; seguido de Serviços (-114); Agropecuária (-100); Administração Pública (-34); Construção Civil (-15); Serviço Industrial de Utilidade Pública (-2) e Extrativa Mineral (-1). O único setor que gerou novos postos de trabalho em dezembro foi comércio (02).  

Ano passado, na microrregião foram geradas 2.573 vagas. A cidade com melhor resultado foi Hortolândia (927); seguido de Nova Odessa (648); Americana (541); Santa Bárbara (366) e Sumaré (91). 

RMC

Em relação à Região Metropolitana de Campinas (RMC), em dezembro, foram admitidos 22.166 e demitidos 30.653 trabalhadores, resultando em (-8.487) postos eliminados. No acumulado do ano, foram gerados 10.716 postos de trabalho, cerca de 16,34% sobre os 9.211 de 2018.  Os destaques positivos: Serviços com 5.690 postos, o Comércio com 4.344 postos, a Construção Civil com 1.940 postos. Os negativos foram: a Indústria com (-2.071) postos eliminados e a Administração Pública com (-55) postos eliminados. Os dados foram levantados pelo Departamento de Economia da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC). 

“Na RMC, a expansão do emprego para 2020 traz uma perspectiva de 15% a 20% de geração, mais de 13 mil postos de trabalho”, prevê o economista da Acic, Laerte Martins. 

Nacional

No âmbito nacional, o Caged de dezembro de 2019 aponta que foram admitidos 990.848 e demitidos 1.298.159 trabalhadores, uma contratação líquida negativa de (-307.311). 

Em relação ao acumulado do ano (janeiro a dezembro) de 2019, foram contratados 644.079 trabalhadores, que comparados aos 529.554 de 2018 resulta em uma expansão de 21,63%.  Os destaques foram: Serviços, o Comércio e a Construção Civil, que juntos geraram cerca de 599.115 postos, 93% do total geral.

“O resultado do ano de 2019 demonstram que em nível nacional houve uma evolução positiva na geração de emprego de cerca de 22% acima de 2018, indicando uma tendência positiva para 2020, com a perspectiva de crescer 22% acima de 2019, com a geração de 786 mil postos de trabalho”, segundo a Acic.